ESPAÇO LIVRE DE MÚSICA

O Espaço Livre de Música é um espaço destinado a aulas de música, onde o aluno pode buscar o seu desenvolvimento como iniciante ou a partir de algum ponto de conhecimento prévio. Dispõe de inúmeras atividades que recebem alunos das mais diversas origens e faixas etárias. Atualmente conta com alunos   a partir dos 07 anos de idade.

Aulas de Música

Como Funciona o Espaço Livre de Música

Perguntas e respostas mais frequentes

Nesta aula o aluno poderá conhecer o profissional, tirar dúvidas específicas, conversar sobre objetivos com a atividade, conhecer a proposta didática e vivenciar a aula.Nesta aula o aluno poderá conhecer o profissional, tirar dúvidas específicas, conversar sobre objetivos com a atividade, conhecer a proposta didática e vivenciar a aula.

As aulas são em geral ministradas individualmente, podendo no entanto, mediante consulta, ser montados grupos.

As aulas tem duração de 1 hora, sendo realizadas semanalmente, com média de 04 aulas por mês.

Para o agendamento das aulas experimentais ou mesmo para consultar as disponibilidades o interessado deve fazer contato com a secretaria da PRESTO através do número 51 3037 7784 | WhatsApp 51 9 9118 6763 | E-mail: contato@prestosl.com.br

Professores

O Espaço Livre de Música dispõe de professores altamente qualificados e com comprovada atuação.

LUcia passos

Canto eTécnica Vocal

dêizi Nascimento

Técnica Vocal

marcelo dias

Técnica Vocal

luiz bitencourt

Violão & Ukulele

luyra dutra

Violoncelo

vitor fischer

Piano

Daniel Castilhos

Acordeon

gustavo reis

Violino

JULIANO PINHEIRO

Cavaquinho

rael gobato

Violino

eusenice pereira

Técnica Vocal

WALkÍRIA MORATO

Flauta Doce

Você está no lugar certo

fale conosco

“Desenvolva seu talento e suas habilidades musicais. Estude Música!”

Nossos Contatos

Projetos Culturais

Grupos Artísticos

Serviços

Ⓒ 2020 - Todos os Direitos Reservados

Damos valor à sua privacidade

Nós e os nossos parceiros armazenamos ou acedemos a informações dos dispositivos, tais como cookies, e processamos dados pessoais, tais como identificadores exclusivos e informações padrão enviadas pelos dispositivos, para as finalidades descritas abaixo. Poderá clicar para consentir o processamento por nossa parte e pela parte dos nossos parceiros para tais finalidades. Em alternativa, poderá clicar para recusar o consentimento, ou aceder a informações mais pormenorizadas e alterar as suas preferências antes de dar consentimento. As suas preferências serão aplicadas apenas a este website.

Cookies estritamente necessários

Estes cookies são necessários para que o website funcione e não podem ser desligados nos nossos sistemas. Normalmente, eles só são configurados em resposta a ações levadas a cabo por si e que correspondem a uma solicitação de serviços, tais como definir as suas preferências de privacidade, iniciar sessão ou preencher formulários. Pode configurar o seu navegador para bloquear ou alertá-lo(a) sobre esses cookies, mas algumas partes do website não funcionarão. Estes cookies não armazenam qualquer informação pessoal identificável.

Cookies de desempenho

Estes cookies permitem-nos contar visitas e fontes de tráfego, para que possamos medir e melhorar o desempenho do nosso website. Eles ajudam-nos a saber quais são as páginas mais e menos populares e a ver como os visitantes se movimentam pelo website. Todas as informações recolhidas por estes cookies são agregadas e, por conseguinte, anónimas. Se não permitir estes cookies, não saberemos quando visitou o nosso site.

Cookies de funcionalidade

Estes cookies permitem que o site forneça uma funcionalidade e personalização melhoradas. Podem ser estabelecidos por nós ou por fornecedores externos cujos serviços adicionámos às nossas páginas. Se não permitir estes cookies algumas destas funcionalidades, ou mesmo todas, podem não atuar corretamente.

Cookies de publicidade

Estes cookies podem ser estabelecidos através do nosso site pelos nossos parceiros de publicidade. Podem ser usados por essas empresas para construir um perfil sobre os seus interesses e mostrar-lhe anúncios relevantes em outros websites. Eles não armazenam diretamente informações pessoais, mas são baseados na identificação exclusiva do seu navegador e dispositivo de internet. Se não permitir estes cookies, terá menos publicidade direcionada.

Visite as nossas páginas de Políticas de privacidade e Termos e condições.

Lucia Passos

Lúcia Passos, mineira radicada há 42 anos no Rio Grande do Sul, é cantora e Professora de Técnica Vocal tendo atuado na Universidade do Vale do Rio do Sinos- UNISINOS durante 26 anos. 

Iniciou sua formação musical em Minas Gerais e, em busca de aperfeiçoamento, foi para o Rio de Janeiro onde estudou com a professora Clarisse Stukart. Estudou no Mozarteum, em Salzburg, na Áustria, e também em Münster, na Alemanha, com os professores Rita Streich, Paula Lindberg e Peter Ziethen. 

Realizou recitais em vários estados do Brasil e também na Áustria e Alemanha, apresentando repertório internacional e de compositores brasileiros. Atuou como solista da Orquestra Sinfônica Brasileira, Orquestra Sinfônica de Minas Gerais, Orquestra de Câmara da OSPA e Orquestra de Câmara do Theatro São Pedro e Orquestra SESI FUNDARTE. 

Contratada pela FUNARTE ministrou cursos em todo o Brasil orientando regentes, cantores e professores de Técnica Vocal 

Foi Coordenadora Cultural da Unisinos durante 5 anos, desenvolvendo e incentivando projetos culturais como a Orquestra Unisinos, Projeto Sinos Acorda e Movimento Coral Unisinos. 

Há quase 20 anos tem atuado como professora de Técnica Vocal nas Oficinas de Música de Curitiba, nos Paineis de Regência Coral da Federação de Coros do Rio Grande do Sul, além de oficinas em várias cidades do RS, SC, SP, PR. 

Realizou oficinas permanentes para o Coral Municipal de Caxias do Sul, coros do Instituto de Educação Ivoti, Coros de Nova Petrópolis além de outras cidades do RS. 

É proprietária da Presto Produções e Promoções Artísticas, juntamente com Ailton Gomes de Abreu, desenvolvendo um intenso trabalho pela Cultura de São Leopoldo e região através do Projeto MusiCâmara, Camerata Presto, Projeto Arte Gaúcha, Oficina Canto Coral, Oficinas de Técnica Vocal, Instrumento e Canto, visando o aprimoramento de instrumentistas, cantores, atores e professores. 

É preparadora vocal do Madrigal PRESTO desde a sua criação em 2008, atuando junto ao Maestro João Paulo Sefrin.

Dêizi Nascimento

Dêizi Nascimento, soprano natural de São Leopoldo é bacharel em canto lírico pela UFRGS e professora de canto no Espaço Livre de Música na Presto – Produções E Promoções Artísticas.

Iniciou sua formação musical no antigo Movimento Coral UNISINOS, onde participou de 1993 até 2010. Possui formação complementar, pela UNISINOS, através dos cursos de extensão, dentre os quais: II Oficina de Regência para Coros; Teoria e Percepção Musical, Historia da Música, com o professor Celso Loureiro Chaves, pelo Projeto Sinos Acorda; Trabalho de Expressão Corporal, com Débora Finocchiaro.

Foi a personagem “ Baronesa Gata” na produção do departamento cultural Unisinos da ópera “A peste e o intrigante” de Mario Ficarelli com texto de Monteiro Lobato, em 1998. Atuou como solista na obra Novena de Santa Bárbara do Padre José Mauricio pela Camerata Sonarte/SL em 2008. Em 2010 formou-se em canto no Curso Técnico em Música pela Faculdades Est em São Leopoldo/RS na classe da Professora Ruth Kratochvil (UFRGS).

Em Julho de 2011, trabalhou como Preparadora Vocal assistente nas Oficinas de Canto Coral produzidas pela Presto Produções e Promoções artísticas ao lado do Maestro João Paulo Sefrin(UFRGS) . Em 2012 foi solista junto a Orquestra de Câmara Fundarte na Missa Brevis St. Joannis de Deo de Haydn com regência do maestro João Carlos Borges Cunha. Ingressou no curso de Bacharelado em Canto na UFRGS na classe da professora Caroline Abreu.

Participou de várias aberturas do Natal Luz de Gramado – RS, e outros concertos oficiais junto a Orquestra Sinfônica de Gramado sob a regência de Bernardo Grings e Linus Lerner, como a abertura do Festival de Cinema de Gramado de 2014. Foi integrante do Madrigal Presto dedicado a música original composta para coro, com técnica vocal de Lúcia Passos e regência de João Paulo Sefrin(UFRGS). Ao lado da Soprano Yasmini Vargas e do pianista Rodolfo Wulforst e esteve presente em grandes projetos culturais da cena gaúcha, como Projeto MusiCâmara, Sarau do Museu da Medicina, Musical Évora entre outros. Acompanha o grupo Quartetto de Cordas de Igrejinha, em várias apresentações pelo estado.

Cantora convidada pela Cia de Dança Corpo Alma a participar do espetáculo “A cada um segundo suas obras” – Ato I , Umbral e ato II, Nossa morada, de 2014, baseado no livro no Nosso Lar de Chico Xavier, sob a direção artística de Samantha Marques( UERGS).
Participou de masterclasse com o Baixo Carlo Colombara, a Soprano Carla Maffioletti. Atualmente recebe orientações de canto com a professora de canto Lúcia Passos e Carla Maffioletti.

Em 2016 foi solista na Missa do Orfanato de Mozart, apresentada em formato de ópera pelo Projeto Ópera na UFRGS, com coordenação geral de Lucia Carpena e cênica de Camila Bauer,(UFRGS).

Nos anos de 2016 e 2017 e 2018, foi selecionada para as turmas de canto lírico do II ,III, IV Gramado in Concert, onde teve aluas com o Tenor Adriano Pinheiro, Barítono Carlos Rodriguez, a Soprano Carla Maffioletti e o Maestro Linus Lerner. Também em 2017 foi selecionado para primeira turma de Ópera Studio do Musikfest de Santa Cruz, ministrada pelo o Barítono Francis Padilha, onde representou a personagem Susanna da ópera Le Nozze di Fígaro de Mozart. Em 2018 foi indicada para a bolsa na University Of Georgia pela Soprano laura de Souza no Festival de Vale Veneto/RS.

É integrante também a Cia Oficina de Ópera , com direção musical do Maestro Claudio Ribeiro( UFRGS), com teve direção cênica de Luciana Kieffer(UFRGS), que em 2016 apresentou a ópera Il Signor Bruschino de Rossini, no papel de “Sofia”, junto a Orquestra Filarmônica da PUCRS.

Neste ano de 2019, ingressou na orquestra LUX SONORA de Porto Alegre como cantora e produtora executiva do grupo que possui a direção musical artística do flautista Rafael Marques. Também foi indicada ao Prêmio Cidadão VS na categoria CULTURA, promovida pelo Jornal Vale dos Sinos de São Leopoldo.

marcelo Dias

Marcelo Dias iniciou seus estudos musicais em 2002 no Projeto Cantalomba, estudando canto coral, violão e flauta doce.

Através desse projeto, viajou para Curitiba, Uruguai e Argentina, além de municípios gaúchos apresentando espetáculos vocais, instrumentais e percussivos.

Foi integrante do Coral Infanto Juvenil de Canudos, do Coro Municipal de Novo Hamburgo e do Octeto de Flautas Doce da EST, levando espetáculos para regiões nacionais e internacionais.

Trabalhou como ator e músico no Teatro Luz e Cena, e Produtora de Arte 2por2. Foi regente e preparador vocal do Coro Infanto Juvenil de Canudos, do Juvenil Cantalomba, e preparador vocal do Vocal HIMPV.

Lecionou musicalização através da flauta doce no projeto Cantalomba, técnica vocal para iniciantes na Escola Soneto em Estância Velha e na Escola Compasso em Porto Alegre. Foi preparador vocal bolsista do Laboratório de Iniciação Vocal da UFRGS.

Atualmente, bacharelado em Música com habilitação em Canto pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul – UFRGS, Licenciando em Música, também pela UFRGS, preparador vocal dos coros do Cantalomba, Integrante da Camerata Hamburgo, Regente do Coro Municipal de São José do Hortêncio, professor de musicalização através do violão para cantores e simpatizantes do Coro Municipal de São José do Hortêncio, e professor de técnica vocal para iniciantes na PRESTO Produções Artísticas.

LUIZ BITENCOURT

Músico há mais de 20 anos. Formado técnico em música pelas Faculdades EST e com licenciatura em música pelo Centro Universitário Metodista. Participou do IV Simpósio Guitarrístico del Litoral (Paraná, Argentina) e do I e II Festival de Violão de Porto Alegre. Foi jurado em diversos festivais de música, entre eles o Nossa Música, em Novo Hamburgo.

Criador de conteúdo digital com foco no ensino de música. É Co-produtor e professor do Curso de Violão Presto e do Curso de Teoria Musical Presto, onde disponibiliza seu método próprio de ensino musical. Trabalha há 15 anos com aulas particulares de violão e teoria musical, palestras/lives e oficinas.

Compositor e arranjador. Já atuou em diversas bandas e conjuntos. Desenvolve também, trabalho como preparador em grupos de estudo e prática musical. Seu ensino e metodologia tem por objetivo a simplicidade, e é adaptável para todas as idades.

luyra Dutra

Formada no curso de Música da Universidade Federal de Minas Gerais – Bacharelado em Violoncelo na classe da professora e doutora Elise Pittenger (EUA). Participação em vários Festivais, como: 7 edições de 2007 à 2013 do Festival de Música Colonial Brasileira e Música Antiga de Juiz de Fora (MG), II Festival de Música de Sarzedo (MG), II e III Gramado In concert (RS), dentre outros. Atualmente é violoncelista da Orquestra Sinfônica de Gramado/RS e Quartchello, quarteto de violoncelos.

Vitor Fischer

Nascido em 1997, Vítor Fischer Wachholz iniciou seus estudos de piano aos 6 anos de idade nas Faculdades EST. Graduou-se em Piano pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS). Concomitantemente, estudou Licenciatura em Música nas Faculdades EST – onde foi, posteriormente, monitor de piano para os cursos de Licenciatura e Técnicos.

Descobriu cedo seu gosto pelo ensino da música e desde então vêm sendo convidado para a realização de concertos, palestras, workshops e masterclasses. Desde 2015 atua como professor, auxiliando no desenvolvimento de alunos e alunas, fazendo com que seus potenciais se aflorem e cada um e cada uma alcance seu objetivo.

Daniel Castilhos

Formado no Curso de Graduação em Música: Licenciatura – Universidade Estadual do Rio Grande do Sul – UERGS.  Pós-graduando em Música pela UERGS. Professor de música no Clube do Professor Gaúcho e no Centro Cultural 25 de Julho, ambos em Porto Alegre/RS.

Professor de Música da Rede Municipal de Ensino de Campo Bom/RS. Tem participado como solista convidado em Orquestras como Orquestra de Câmara Fundarte, Orquestra de Câmara ULBRA, Orquestra Sphaera Mundi e Orquestra Sinfônica Villa-Lobos/SP.

Desenvolve trabalhos de música de câmara, com diversas formações instrumentais e integra o Quinteto Persch desde o início do grupo

GUSTAVO REIS

Bacharel em Violino pela Universidade Federal de Pelotas (UFPEL), Gustavo atua como violinista e professor de música, acumulando participações como músico convidado em diversas orquestras de expressão no estado dentre elas a Orquestra de Câmara da ULBRA, e Orquestra Sinfônica de Porto Alegre. 

Gustavo é um dos vencedores do Concurso de Jovens Solistas da OSPA de 2019, tendo conquistado o prêmio especial de “Melhor da Categoria de Cordas”.

Atualmente é aluno de Emerson Kretschmer na Escola de Música da OSPA.

JULIANO PINHEIRO

Comecei na área musical aos 9 anos, quando fiz os primeiros acordes no cavaquinho. Aos 12 anos iniciei o estudo de violão clássico. Cinco anos depois, ingressei no curso técnico em música na escola EST e a partir daí começo a viajar por todo estado fazendo shows com um grupo musical.

Atualmente, curso de licenciatura em música incompleto na faculdade IPA metodista do sul, Porto Alegre; atuando como músico em um grupo musical na cidade de São Leopoldo-RS; professor de cavaquinho, banjo e violão; Arranjador e produtor musical em diversos trabalhos realizados pela marca Estúdio Musical Dom;

Proprietário da marca Estúdio Dom.

Trabalhando também no ramo audiovisual, formado pelo curso de áudio da escola IGAP: áudio básico, home estúdio e mixagem; realizo trabalhos como técnico de áudio e sonorizações para pequenos eventos. 

rael Gobatto

Iniciou seus estudos musicais em 1997 no Projeto Sinos Acorda da UNISINOS sob a orientação do maestro José Pedro Boéssio, desenvolvendo prática em orquestra e em grupos de câmara.

Estudou violino com diversos professores nesta entidade e teoria e percepção com o professor Bontzye Schmidt Sandoval.

Participou de vários festivais, cursos e master-classes com professores brasileiros e estrangeiros.

Atuou como músico convidado da Orquestra UNISINOS e Orquestra Sinfônica de Santa Catarina, e integrou as orquestras Sinos Acorda, Feevale-Canarinhos, OLPOA (Orquestra Livre de Porto Alegre), Cameratta Porto Alegre, PUCRS e Werdenfels Orchester (Alemanha).

Estudou com o professor Iran Jorge da Silva de 2004 até 2009 com quem conheceu a técnica violinística desenvolvida na Europa central por Carl Flesch e Max Rostal, difundida no Brasil pelo mestre Paulo Bosísio (Rio de Janeiro).

Atualmente seu estudo é supervisionado pelo professor João Campos Neto, juntamente com Paulo Bosísio, que faz visitas regulares ao Rio Grande do Sul.

Eusenice Pereira

Eusenice Pereira, mezzo soprano, natural de Minas Gerais é bacharela em Música Popular pela UFRGS e professora de canto no Espaço Livre de Música na Presto – Produções E Promoções Artísticas.

Iniciou sua formação musical em 1995 com a Professora Noemi Terra Dias estudando técnica vocal. Em 2010 formou-se em canto no Curso Técnico em Música pela Faculdades Est em São Leopoldo/RS na classe da Professora Ruth Kratochvil (UFRGS).

Em 2011 lançou o primeiro CD solo – “Perto de Ti” onde interpreta musical gospel com arranjos de Saimon Saldanha. Durante os anos 2013 a 2015 foi integrante do Coro Sinfônico da OSPA. Em 2015 participou do show Calouradas Afirmativas (UFRGS), sob direção da Professora Luciana Prass.

Em 2016 Integrante do Coro na Missa do Orfanato de Mozart, apresentada em formato de ópera pelo Projeto Ópera na UFRGS, com coordenação geral de Lucia Carpena e cênica de Camila Bauer,(UFRGS). Participou em 2016 e 2017 do Espetáculo Ébano e Marfin in concert, sob a coordenação de Marguerite Santos. Em 2018 e 2019 Integrante do Coro de Câmara do Departamento de Música da UFRGS, sob a regência do Maestro Jocelei Cirilo Soare Bohrer.

Atua como professora de Técnica Vocal e Canto a 9 anos. Em 2017 a 2019 trabalhou como Preparadora vocal do coro LUDUS e LIV (Laboratório de Iniciação Vocal) Curso de Extensão – UFRGS) coordenado pelo Professor Jocelei Cirilo Soare Bohrer.

Atualmente tem se dedicado a desenvolver os projetos solo “As Cores De Uma Negra” onde interpreta músicas de compositores e compositoras brasileiras e internacionais com acompanhamento de Gilberto Oliveira com violão, guitarra. Projeto “Sotaques” onde interpreta músicas de compositoras mineiras com acompanhamento de Angelo Primon com viola de dez cordas e ao estudo de Performance com Thainan Rocha.

WALKIRIA MORATO

Bacharela em flauta doce pela Universidade Estadual Paulista “Julio de Mesquita Filho” (UNESP-SP) e licenciada em música com instrumento flauta doce pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS). 

Formada no curso de flauta doce na Escola de Música do Estado de São Paulo (EMESP-SP) com o professor Alexandre Pimenta, formada no curso de flauta doce do Núcleo de Música Antiga pelos professores Alexandre Pimenta e Ricardo Kanji. 

Participação ativa nos festivais de música das cidades de Juiz de Fora (MG), Tatuí (SP), São Paulo (SP), Curitiba(PR), Ourinhos (SP), Festivais de Educação Musical das cidades de São Paulo (SP), Piracicaba (SP) e Ourinhos (SP) e participação como flautista no Projeto Ópera na Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS) sob orientação da professora Dra Lúcia Carpena e na Orquestra de Música Antiga dos alunos da Oficina de Música de Curitiba sob regência do professor Rodolfo Richter.

Atualmente cursa o 1o semestre do Mestrado em Práticas interpretativas – flauta doce na Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS) com a professora Dra Lúcia Becker
Carpena. 

Professora de flauta doce em projetos sociais, conservatórios de música na cidade de Porto Alegre e, desde 2013 é professora de Flauta Doce e musicalização infantil na Escola de Música Sons Dell’Arco e na Orquestra Villa Lobos.

Ailton Abreu

Bacharel em Administração – Habilitação em Recursos Humanos, atua no meio artístico cultural desde 1993.

Em 1996 ingressou como bolsista do Movimento Coral Unisinos como arquivista e posteriormente também junto a Orquestra Unisinos.

Paralelamente também atuou nas atividades administrativas do Projeto Sinos Acorda, onde iniciou o estudo do violoncelo.

Em em 2004 assumiu a Administração da Orquestra Unisinos, até a suspensão das atividades do grupo em 2006.

Desde 2007 atua na PRESTO – Produções e Promoções Artísticas e tem se dedicado a elaboração e execução de projetos artísticos ligados a música, em especial a música erudita.

Trabalha também na administração, divulgação e promoção do  Espaço Livre de Música.

Atua ainda como violoncelista na Orquestra Sinfônica de Gramado, Quarteto PRESTO, do grupo Arte Gaúcha, do qual é também o produtor. Como professor de violoncelo atua no Espaço Livre de Música da PRESTO.

Também atua como convidado em diferentes formações de câmara e sinfônica tais como o Quarteto W. Mello e a Orquestra de Câmara da UNISC.

Na atuação como produtor destacam se o Projeto MusiCâmara, que em 2016 realiza sua nona temporada, trazendo a São Leopoldo e a região metropolitana de Porto Alegre atrações nacionais e internacionais da música erudita.

Também em São Leopoldo produziu as quatro edições do PRESTO Oficinas de Música, trazendo a cidade professores e alunos de diversos estados do Brasil.

Atualmente produz o trabalho do grupo Arte Gaúcha, Camerata PRESTO  e o Projeto MusiCâmara. Em novembro de 2020 recebeu o Prêmio VS Cidadão 2020 – Categoria Cultura, promovido pelo Jornal VS de São Leopoldo/RS. Em maio de 2021 recebeu o Prêmio Trajetórias Culturais Mestra Sirley Amaro.

Roberson Franco

Acordeonista e cantor, natural de Canoas RS, nascido no dia 06 de dezembro de 1988.

Comecei a estudar o acordeon piano aos 11 anos com a professora Maria Celoi, aos 14 anos estudei na Escola Cristo Redentor em Canoas com a professora Silvia Menotti e logo aos 16 anos com o professor Adriano Persch.

Desde menino fui apaixonado por musica, despertando ai o gosto pelo acordeon piano. Aos 15 anos de idade comecei a tocar em conjuntos de fandango.

No ano de 2005 comecei a tocar com o conjunto (Bando Gaucho), dirigido pelo grande guitarrista Amaro Peres, aonde permaneci por três anos.

Em 2008 passei a acompanhar o cantor Walther Morais, artista renomado da musica tradicionalista gaucha. Este que fiquei tocando durante 6 anos, viajando por todo Brasil, fazendo apresentações em feiras, festivais, shows e fandangos. Neste período participei de três discos e um DVD, do artista, gravando acordeon e vocais.

No ano de 2013, gravei meu primeiro disco solo, incluindo musicas próprias e regravações, sendo obras instrumentais e cantadas. O disco foi lançado pela gravadora Vertical de Caxias do Sul RS.

Em Julho de 2014 fui convidado para exercer a função de acordeonista e cantor no conjunto musical “Garotos de Ouro”. Um conjunto com mais de 40 anos de historia aonde tive o prazer de trabalhar por um ano e meio.

No presente momento, sigo trabalhando com minha carreira solo e em dupla com o grande violonista Dilson Inacio (Joia), além de aulas de acordeon para principiantes.

Sou amante do acordeon e defendo a evolução e apreciação do mesmo.

 

Eduardo Lautert

Em breve

Filipe Muller

Graduou-se na UFRGS no curso  Bacharelado em Contrabaixo e desde 2004 atua na Orquestra de Câmara Theatro São Pedro . De 2010 a 2017 atuou na Orquestra Filarmônica da PUC.

Desde 2015 atua na Orquestra Sinfônica de Gramado. Também trabalhou nas seguintes orquestras: Orquestra Sinfônica de Santa Catarina (2002 e 2003), Orquestra Sinfônica de Porto Alegre, Orquestra Sinfônica da UCS, Orquestra de Câmara da ULBRA, Orquestra Sacra da ULBRA, Orquestra Sinfônica da UNISINOS, Orquestra de Câmara da UNISC, Orquestra de Câmara de Feliz, Orquestra do Projeto Vésperas, Orquestra de Câmara SESI- Fundarte, Orquestra de Sopros do Centro Cultural Eintracht. Em 2020 passa a integrar a Camerata PRESTO.

Luciano Reis

Iniciou seus estudos musicais em 1997  no Projeto Sinos Acorda da UNISINOS sob a orientação do maestro José Pedro Boéssio, desenvolvendo prática em orquestra e em grupos de câmara. Estudou viola com o Professor Delmar Breunig.  Atua em diversas formações camerísticas e também como professor de viola e violino em escolas e  projetos sociais na região.

Vinicius Reis

Em breve

João Antônio Borba

Em breve…

Carlos fecher

Carlos Völker-Fecher iniciou seus estudos de Música com Gilberto Bittencourt. Com ele teve seus primeiros passos também no estudo da Regência.

Formou-se em Regência pela Universidade Federal do Rio de Janeiro, na classe de Ernani Aguiar, concluindo seu bacharelado com a ópera Der Freischütz.

Integrou a Equipe Curt Lange com Ernani Aguiar, Aluízio Viegas, Alex Milagres, Geraldo Barbosa e Francisco D’El Rey Duarte.

Foi regente do Coro Contraponto de 1990 at̩ 2010. Com este coro conquistou as medalhas de bronze Рcoro masculino Рe ouro Рcoro misto no Harmonie Festival 2005, ocorrido em Lindenholzhausen-Limburg, na Alemanha.

Atuou também como maestro de coro junto a diversos nomes da música popular.

Foi cantor lírico do Coro do Theatro Municipal do Rio de Janeiro.

Esteve à frente de diversas orquestras brasileiras, das quais destacamos a Orquestra Sinfônica da UFRJ, Orquestra de Câmara da UNIRIO, Rio Strings Orchestra, Orquestra Sinfônica Nacional.

Mestre em Música, com habilitação em Musicologia, defendeu a dissertação “Suíte Sinfônica n.1 ‘Paulista’, de Guerra-Peixe: um estudo da orquestração como retrato do folclore”.

Doutor em Música, na subárea Práticas Interpretativas/Regência Coral pela UFRJ, onde defendeu a tese “A Missa Afro-Brasileira de Carlos Alberto Pinto Fonseca perante as prescrições litúrgicas da tradição católica”.

É professor de Regência na Universidade Federal do Rio Grande do Sul – UFRGS e maestro e coordenador da Orquestra do Instituto de Artes da UFRGS.



regência Coral Adulto

  1. Pensando sobre Regência

O que é REGÊNCIA?

Pequeno histórico sobre a regência;

Afinal de contas, o que é REGER?

O que um regente deve saber para reger um coro?

Regência e técnica vocal – qual a relação entre elas?

O regente e o preparador vocal;

 

  1. Pensando sobre a Técnica

A postura do regente;

Postura inicial;

Preparação – levari – respiração;

Marcação de compassos de 2, 3 4 e 6 tempos;

Inícios e finalizações nos vários tempos de cada compasso;

Entradas e cortes das vozes no decorrer da música;

Mão direita e mão esquerda – quais suas funções?

 

  1. Pensando sobre a Prática

O regente deve ou pode cantar enquanto rege?

Como ler uma peça com o coro?

Como ensaiar uma peça?

 

Como ensaiar uma parte mais complexa de uma peça?

Como dar o tom de uma música para o coro?

Como escolher o repertório?

 

  1. Prática

Praticar, aos olhos da técnica de regência, trechos e/ou pequenas peças e

experimentar muitas sensações.

Cristiane Ferronato

É arte-educadora e regente Cristiane Ferronato utiliza a música como possibilidade para transcriação, valendo-se especialmente de práticas coletivas de percussão e canto coral para instigar potenciais de existência. Aprendeu com o sincretismo cultural brasileiro a valorizar e nutrir hibridismos artísticos durante mais de 20 anos de profissão. É Graduada em Pedagogia pela UCS (2003), Pós-Graduada em Capacitação Docente em Música Brasileira pela Anhembi Morumbi, de São Paulo (2006), e Mestre em História pela UCS (2020). Especializou-se como Educadora Brincante pelo “Instituto Brincante” (2007), de São Paulo, e também na pedagogia musical Orff-Schulwerk pelo “The San Francisco Orff Course” (2015), nos Estados Unidos. 

Na regência coral, inspirou-se conceitual e ideologicamente em profissionais como Mara Campos, Ana Yara Campos, Renato Filippini, Lucia Passos, Agnes Schmeling e Pablo Trindade Roballo, entre outros. Profissionais ligados à Educação Musical, como Fernando Barba, Marlui Miranda, Lydia Hortélio, Rosane Almeida, Sofia Lopez Ibor, Doug Goodkin, James Harding e Christa Coogan também nutriram suas aspirações artísticas. Ari Colares foi um de seus principais instigadores de estudos sobre percussão popular brasileira.

 

É diretora artística e regente dos espetáculos Moinho Nômade (2019-) e Contrapontos (2017-), com o Coro Juvenil do Moinho/UCS, e concebeu também os espetáculos Entre Elas (2011-2013), com as Meninas Cantoras de Nova Petrópolis e Cantos do Nosso Chão e Outros Cantos (2011-2012), com o Coro Infanto-Juvenil de Veranópolis e grupo Zingado.

Atualmente é professora no Curso de Licenciatura em Música da Universidade de Caxias do Sul e regente e diretora artística do Coro Juvenil do Moinho/UCS.

 

 

Informações sobre o produto de pesquisa do meu mestrado, que incluem um vídeo-documentário (Moinhos Artistadores de Histórias) e uma dissertação (Jovens que cantam em bando: uma prática interdisciplinar e contemporânea de canto coral em Caxias do Sul) podem ser conferidas no site: http://artistamentosembando.wixsite.com/cristianeferronato/mestrado

(vou falar desses produtos em meu vídeo/palestra)

E mais informações podem ser conferidas nas redes sociais do Coro Juvenil do Moinho/UCS, grupo atual com quem trabalho:

https://www.facebook.com/CoroJuvenildoMoinho/

https://www.instagram.com/corojuvenildomoinhoucs/

https://www.youtube.com/channel/UCwtivWHYc28R8UY5mJZkKTQ

gisele Cruz

Gisele Cruz é mestre em Ensino das Práticas Musicais pela Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro (UNIRIO) e bacharel em música pela UNESP, tendo trabalhado por mais de 30 anos nos Centros de Música dos SESC SP. Ministra cursos de formação e capacitação de regentes e professores por todo o país. Atualmente é regente do VocalDante, grupos infantil e juvenil do Colégio Dante Alighieri (SP). É autora dos livros “Canto, canção, cantoria, como montar um coral infantil” publicado pelo SESC SP e, “Canto Coral Infanto-Juvenil” – versões para o educador e para o aluno – por solicitação e realização da AAPG – Associação de Amigos do Projeto Guri.

É autora colaboradora nos e-books “Cadernos do Painel – A preparação do regente”, org. Eduardo Lakschevitz (2016) e “Canto coral Infanto juvenil – ações e reflexões” org. Débora Andrade e Ana Gaborim (2020).

Site www.cantoecantoria.com.br

Deborah Finocchiaro

Deborah Finocchiaro estreou no teatro em 1985. Bacharel em Interpretação Teatral na Faculdade de Artes Cênicas da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (1992), já participou de centenas de trabalhos como atriz no teatro, cinema e televisão. É também diretora, locutora, produtora, apresentadora, roteirista e ministrante. Ao longo de sua carreira, recebeu 33 prêmios, entre eles 9 de Melhor Espetáculo, 18 de Melhor Atriz, 1 de Melhor Direção, 1 de Melhor Texto Adaptado, 1 de Melhor Roteiro e 3 como Melhor Artista de Teatro. 

 

Em 1993 criou a Companhia de Solos & Bem Acompanhados, que tem em seu repertório, entre outros, os espetáculos “Pois é Vizinha…”, direção Deborah Finocchiaro (1993), “Sobre Anjos & Grilos – O Universo de Mario Quintana”, direção Deborah Finocchiaro e Jessé Oliveira (2006 – além do espetáculo contém CD, lançado em 2015 e DVD, lançado em 2017), “GPS GAZA”, orientação Camila Bauer (2014); “Caio do Céu”, a partir da obra de Caio Fernando Abreu, direção Luís Artur Nunes (2017) e “Diário Secreto de Uma Secretária Bilingue”, direção de Vinícius Piedade e Deborah Finocchiaro (2019). Os projetos e “Histórias de Um Canto – Memórias de Porto Alegre e do Rio Grande do Sul” (que consiste em um espetáculo solo, um recital, um show musical e um registro da obra em livro/CD – 2008), “Palavra de Bolso – Onde a Literatura ganha Voz” (2016), “Sarau Voador – Literatura e Improvisos Transcriados”(2018). As obras literomusicais: “A Espessura da Vida” (2018), “Leitura às Cegas” (2018); “Benção Poetinha”, a partir da obra de Vinicius de Morais (2018) e “Palavra Balada (2018). O espetáculo audiovisual “Invisíveis – Histórias Para Acordar”, direção Deborah Finocchiaro (2020) e a websérie “Confessionário Relatos de Casa”, direção Deborah Finocchiaro e Luiz Alberto Cassol (2020).  


Em 2014 foi a artista homenageada do 21º Festival Internacional de Teatro Porto Alegre Em Cena, ganhando a biografia “A Arte Transformadora”, escrita pelo jornalista Luiz Gonzaga Lopes, que integra o 5º volume da coleção Gaúchos Em Cena. Em 2020 foi tema do documentário “Deborah! O Ato da Casa”, longa-metragem produzido durante a quarentena, direção Luiz Alberto Cassol (2020). De 2009 a 2019 assinou a coluna de teatro na Rádio Band News FM Porto Alegre – 99,3.

Franceli zimmer

Franceli Zimmer é Fonoaudióloga, Especialista em Voz, Professora de Técnica Vocal, Cantora, Regente Coral e Pós graduanda em Música com ênfase em Educação Musical. Estudou canto Lírico e Popular com renomados professores de quem recebeu aporte técnico para atuar profissionalmente.

Realizou masterclass de canto com Carla Maffioletti, Eiko Senda, Monica Wagabi, Cintia De Los Santos, Ricardo Barp, entre outros. Realizou cursos de regência coral com Mara Campos, Márcio Buzatto, Eduardo Fernandes, Linus Lerner, Pablo Trindad  Fez cursos e workshops na área do teatro com Zica Stockmanns, Camilo de Lélis, Raulino Prezzi, Raul Voges. Atuou como Preparadora Vocal em várias montagens teatrais como do Grupo Miseri Coloni, de Caxias do Sul -RS e Cia Acto de Garibaldi- RS.

Atualmente é Regente e presta Assessoria Fonoaudiológica ao Coro da Aabb de Garibaldi-RS, ao Coro Infantil, Juvenil e Adulto de Veranópolis-RS. Presta Assessoria Fonoaudiológica e faz a Preparação Vocal  do Coro Misto Piá, do Coro Masculino Stadtplatz e do Vocal Sem Batuta.

Atualmente faz a preparação vocal, atende clinicamente no seu consultório e acompanha a carreira de vários cantores, atores, e outros profissionais da voz falada e cantada.

Aprimora seu conhecimento acerca do Canto (técnica vocal) e Voz (saúde vocal) e Regência coral participando de congressos, seminários e oficinas sobre o assunto, e  estudando Canto há anos com a renomada professora Lúcia Passos em São Leopoldo- RS.

Luyra Dutra

Luyra Dutra natural de Juiz de fora/MG é bacharel em violoncelo pela Universidade Federal de Minas Gerais.Durante a graduação participou como bolsista de diversos projetos de extensão voltados para o ensino além de ter sido estagiária do Centro de Musicalização Integrada da UFMG, como professora de violoncelo e musicalização infantil. Atualmente é professora na Presto Produções em São Leopoldo, Nova Estação Escola de artistas em Porto Alegre e na Orquestra Jovem de Gramado. Atua como violoncelista na Camerata Presto, na Orquestra Sinfônica de Gramado e participa de outros grupos pelo Rio Grande do Sul como convidada.

Castro Alves, poeta de nosso tempo?

Por que dar voz e palco a um poeta do século dezenove? Em que medida podem seus versos provocar os corações e mentes de uma outra época, submissa à magia das novas tecnologias e blindada pela linguagem da urgência e dos distanciamentos?

 

A resposta é menos complicada do que parece: Castro Alves é, mais do que nunca, um poeta contemporâneo. Sim, ele fala também a nosso tempo, através da indignação de seus versos. Porque, hoje, o mundo pode ser injusto e cruel, tantas vezes interessado na exclusão social, na exploração de outro tipo de senzala, na privação do mais sagrado dos direitos: o direito à Liberdade. Representam seus versos, assim, a voz dos injustiçados, dos perseguidos, dos insubmissos.

 

E, nos poemas que exaltam as guerras da Independência e do Paraguai novamente cresce a denúncia contra a indiferença – estigma também de nosso tempo. (“Quem dá aos pobres, empresta a Deus”)

 

Poeta sem rival da alma brasileira, traduziu com rara felicidade, a graça de um amor cheio de som e risos (“O laço de fita”) e a sensibilidade acolhedora da música. (“O fantasma e a canção”).

 

Por fim, e não menos importante, quantas vezes já se ouviu, nos bancos escolares e no saguão das bibliotecas, o hino apaixonado ao livro e às letras, marco civilizatório sem rival, traduzido em “O livro e a América”?

 

É preciso dizer mais? Ouçamos Castro Alves e nos rendamos a seus versos que transcendem o tempo e o espaço!

 

Elvira Coelho Hoffmann